Lu & Robertinho – Mashup sertanejo
Lu & Robertinho
Não, eu não estou bem – e explico o porquê
Adeus 2015!
Adeus 2015
cultura-pop category image Cultura pop
Lu & Robertinho – Mashup sertanejo
25 de agosto de 2016

Em abril, por indicação de uma pessoa, eu conheci Lu & Robertinho, uma dupla que faz mashups (misturas) com músicas sertanejas nacionais e pop/rock internacional! Como são meus dois gêneros musicais favoritos, não tinha como eu não gostar, não é verdade?

Lu & Robertinho
Hoje eu vim falar de música 😀

Lu & Robertinho, são os principais no estilo e possuem mais de 50 milhões de views no canal do Youtube deles!
Com uma música mais perfeita que a outra, começaram com uma brincadeira, cantando em barzinhos, o sucesso explodiu e acabaram ganhando canal da VEVO e tudo mais!

Eles cantam e encantam os meus dias desde então, sem contar que os dois são de pertinho: Lins, interior de São Paulo, com ddd 18 e tudo mais! hahahaha E, pra minha felicidade ficar completa, eu ainda consegui ir a um show deles lá em Assis, no Feijó Show Bar, com uma companhia pra lá de especial (que esqueceu de tirar a marcação de data do celular na hora de tirar a foto hahaha)! 😀

Lu & Robertinho

E é desde que os conheci que eu não paro de ouvir as músicas deles, em outrubro tem show dos dois aqui em Rio Claro, não vejo a hora! ♥

Sou suspeita pra dizer, mas não encontrei nenhuma outra banda/dupla que faça um trabalho tão legal quanto o deles e tenham vozes tão lindas! Além deles serem super simpáticos e o show ter entrado pra minha coleção de melhores lembranças que carregarei para toda a vida!

Mashups Lu & Robertinho

Espero que tenham gostado de conhecê-los e, se já conheciam, me contem: qual o mashup preferido de vocês? ♥

TwitterPinterestTumblrLinkedInDeliciousEmailGoogle BookmarksWhatsAppWordPressGoogle+Facebook

Post por: K-Chan Nhayök


pessoal category image Pessoal
Não, eu não estou bem – e explico o porquê
18 de agosto de 2016

não, eu não estou bem

Eu gostaria de dizer isso para todo mundo: não, eu não estou bem.
Mas todos nós sabemos que isso não é possível. As pessoas simplesmente não aceitam que você não esteja bem. Os amigos querem a todo custo que você esteja bem e os que não são amigos simplesmente não se importam e por isso você não deve gastar o tempo deles dizendo que não está bem.

Eu sumi, bateu quase os 2 anos sem post, isso me assusta, mas ao mesmo tempo me explica. Pra quem tem curiosidade, não, eu não estou bem… O fato é que muita coisa aconteceu, infelizmente a maioria ou foi ruim, ou teve um desfecho ruim.
Pra completar, estou morando agora em Rio Claro/SP, abandonei tudo e todos e essa talvez tenha sido a decisão mais difícil que tomei em toda a minha vida, ultrapassando a decisão de ir ou não morar em Portugal por 2 anos e abandonar o amor da minha vida (e perdê-lo ainda por cima).

Pois é. o amor da minha vida retornou e eu o perdi novamente e, depois disso quem ficou perdida fui eu. É incrível como a perda do amor pode te machucar mais do que a perda para a morte. Eu perdi o Kauã e consegui superar, consegui juntar forças e esperanças de um dia reencontrá-lo em um paraíso futuro (segundo as minhas crenças religiosas) e consegui me consolar pensando que ainda posso ter outro filho durante os anos que ainda terei que viver no atual sistema de coisas. Mas não consegui ainda me reerguer por ter deixado escapar a minha segunda chance de ser feliz com a pessoa que eu mais amei na vida. Então não, eu não estou bem.

Meus sonhos interrompidos em 2013 haviam retornado, mas foram mais uma vez despedaçados e o medo de dormir voltou. Os pesadelos voltaram. A insegurança, a incerteza e a insônia me machucam mais uma vez e não, eu não estou bem.

Eu não sei o que fazer, sentir ou pensar. Mas eu sei que preciso seguir de alguma forma, seja qual for a forma. Um dia eu encontrarei essa forma.
No momento eu quero voltar com o blog, na verdade eu nunca quis parar com o blog, ele ter parado foi a junção das circunstâncias: a perda de um filho, um trabalho que me sugava demais, as dores de cabeça, a falta de tempo e o coração partido.

Mas eu acredito em Deus e sei que ele vai me curar. E que um dia eu vou ter vergonha desse post… Por enquanto eu só precisava por para fora aquilo que estava engasgado aqui e não tem lugar onde eu me sinta mais segura e amada que no meu querido blog… Vejo vocês nos próximos posts! ♥

TwitterPinterestTumblrLinkedInDeliciousEmailGoogle BookmarksWhatsAppWordPressGoogle+Facebook

Post por: K-Chan Nhayök


pessoal category image Pessoal
Adeus 2015!
31 de dezembro de 2015

Adeus 2015

2014 não foi um ano muito gentil comigo e 2015 veio pra tentar colocar as coisas no lugar, mas não conseguiu muito bem.

Eu sei que 2015 foi um ano complicado pra MUITA gente e as vezes fico me perguntando “como pode?“, mas aí paro, penso melhor e vejo que a pergunta certa é “como EU pude?“, afinal de contas, não é o ano que tem que ser bom ou ruim, somos nós mesmos!

Em 2014, pra quem não sabe, eu engravidei e perdi o meu bebê, porque ele tinha anencefalia, escolhi interromper a gravidez e essa foi a decisão mais difícil que eu tomei em toda a minha vida… 2015 foi o ano de colher os frutos dessa decisão. Muitos dedos apontados pra mim, pessoas criticando a minha decisão e até me condenando. Mas também teve muita gente boa, acolhedora e palavras de carinho e amor (principalmente dos amigos que estão longe!).

Me afastei de muuuuuita gente, gente que eu achava que não poderia viver sem, mas aprendi que posso sim, aliás aprendi uma máxima que sempre rejeitei na minha vida: não existem pessoas insubstituíveis! Sim, eu sei que isso pode parecer o cúmulo do egoísmo e parece até que estamos tratando pessoas como objetos, mas na verdade isso nos ensina a sermos fortes e que não vale colocar a existência de alguém como condição da nossa própria existência.

Alguns “amigos” (principalmente os que estavam bem perto) me decepcionaram demaaaaais, o que me fez, mais uma vez, recorrer a internet como forma de criar laços. Aprendi que a internet conecta pessoas de um jeito muito mais intenso do que eu imaginava, mas que pouquíssima gente consegue enxergar isso, por isso ainda pensam que a internet é terra de ninguém, por isso ainda falam besteiras e ofendem as pessoas. Se escondem atrás de suas telas para fazer coisas que não teriam coragem de fazer cara-a-cara, como terminar relacionamentos, ameaçar e até mesmo tentar ferir alguém.

Mas conheci coisas maravilhosas também, principalmente depois que eu conheci a Penze (a agência digital na qual eu estou trabalhando e prometo contar tintim por tintim sobre isso em outro post, em 2016!) e todos que trabalham ali. Aprendi que quando sonhamos, conseguimos e aprendi a sonhar novamente.
Quem me acompanha há algum tempo sabe que eu parei de sonhar há algum tempo e isso estava me incomodando constantemente. Se teve uma coisa boa em 2015, é que foi o ano que me fez voltar a sonhar.

E termino o ano decidida a fazer de mim a pessoa que 2014 estava construindo, mas interrompeu. Termino o ano com minha agenda aberta, preenchendo a folha de metas e sabendo que ali estão os sonhos que a Aime sonhadora sempre teve e que tiraram dela por um tempo, aqueles sonhos que pareciam tão impossíveis, mas que ela sempre realizou, nem sempre no tempo e da forma como ela esperava, mas que puderam ser um a um riscados das páginas das inúmeras agendas que estão jogadas no fundo do armário!

E os meus desejos?

São de paz, amor e sonhos, muitos sonhos a todos, que possamos sonhar um futuro melhor porque quem não tem um sonho para perseguir não consegue acordar e correr atrás de nada! Amo vocês, obrigada pelo carinho, comentários e paciência que sempre tiveram com a blogueira que vos fala e que sabe que andou sumida no ano mais importante do blog (10 anos de Klaryan.com!), mas que sonha com dias melhores e irá acordar e lutar por esses dias!

Adeus 2015, bem-vindo 2016!

TwitterPinterestTumblrLinkedInDeliciousEmailGoogle BookmarksWhatsAppWordPressGoogle+Facebook

Post por: K-Chan Nhayök