Youtube: 3 truques que ninguém te conta!
Tecnologia: o lado bom, que ninguém vê
3 lugares para conhecer no estado de SP
cultura-pop category image Cultura pop
RESENHA: Vingança Mortal, de Raquel Machado
14 de abril de 2015

Oooooi pessoal! Hoje eu trago um post bem especial!

Lembram que eu falei da parceria com a autora Raquel Machado? Então, eu finalmente trouxe a resenha desse livro MARAVILHOSO para vocês! <3 Espero que gostem e que isso atice vocês a ler :p

Até que ponto realmente conhecemos as pessoas?

Título: Vingança Mortal
Autor: Raquel Machado
Editora:
Páginas: 117
Sinopse: Ao receber uma ligação sobre a morte de sua melhor amiga, Brenda volta a sua cidade natal, Lageado Grande. Lá ela vai ao velório de Nicole, onde encontra seu rosto marcado por facas. Uma dúvida surge: será que realmente foi um acidente como todos falam?

Ao voltar para casa algumas pistas aparecem, e Brenda fica obstinada a investigar a morte de Nicole. Ela decide então voltar as suas raízes. Porém, o tempo parece ter mudado muitas coisas, inclusive as pessoas que ela imaginava conhecer.

Envolvida em uma rede de intrigas, dinheiro, drogas e traição, ela se vê prestes a montar um quebra-cabeça, onde cada peça parece se encaixar com extrema exatidão. E a solução para esse mistério, pode revelar um segredo escondido há muito tempo”.

“Toda ação provoca uma reação de igual ou maior intensidade, mesma direção e em sentido contrário”. – Terceira Lei de Newton.

Atenção: daqui pra baixo pode conter spoiler!

A narrativa é predominantemente realizada em primeira pessoa: Brenda é a a personagem principal, responsável por nos levar para dentro das 117 páginas…
E, como toda narrativa de mistério, algo em primeira pessoa deixa tudo mais emocionante!
A autora acertou no quesito suspense, vamos descobrindo pistas aos poucos, algumas até passam despercebidas, (coisa que eu amo!), o livro não é nem um pouco previsível e, quando você acha que encontrou a resposta… Você erra!
O livro gira em torno da história de seis amigos da época da escola, 3 casais, com uma pegada das histórias de high school americanas sabe? Todos encontram o amor da vida no ensino médio…

“A escola é uma época primordial na vida de todos. É onde aprendemos quem somos de verdade. A minha época de escola foi muito feliz, eu era a menina popular, aquela que todo mundo quer ser, e tinha minha turma de amigos inseparáveis. Alan era o astro do time de futebol e nos apaixonamos assim que nos vimos. Nosso amor era tão grande que casamos após a formatura.
Ricardo e Elenor eram os certinhos, os mais inteligentes da turma, aqueles que só tiravam 10 e formavam os grupos de estudos, e apesar de sempre discordarem, tinham uma química indiscutível.
Luis e Alice eram os festeiros, parceiros para qualquer programa, sempre alegres e aventureiros, eram eles que agitavam a turma para as famosas jantinhas, sempre regadas com muita música e curtição.
Nicole era minha melhor amiga, e ela se apaixonou por Cristian. Os dois eram o oposto de todos nós, eles não eram populares, não tiravam notas altas e nem participavam das grandes rodas sociais, eles eram o que chamávamos de renegados.
Mas sinceramente isso não me importava, pois gostava muito deles…”

O tempo passa e Brenda muda de cidade com seu marido, o contato com os amigos diminui até que ela recebe uma ligação: Nicole está morta, foi um acidente de carro.
Inconformada com a notícia, Brenda tem certeza que não foi bem assim e começa uma investigação na qual todos são suspeitos de terem assassinado sua melhor amiga, mas descobre também que não pode mais contar com os amigos como contava antes, porque ninguém mais é o que parece ser.

A narrativa te prende e você fica se perguntando: por que tão curto? 117 páginas são pouco para matar a sede de mistério… Mas, quando você chega ao final vem aquele alívio: agora descobrimos o assassino!
Nada melhor que um livro desses para ler em um final de semana todinho, porque é do tipo de livro que, depois que você começa você não consegue largar pra nada!


Você pode adquirir o livro direto com a autora, por apenas R$25 – você leva o livro autografado + marcador e o frete tá incluso!
(E-mail / Blog / Skoob/ Google+ / Twitter / Facebook), ou nos sites abaixo:

Versão impressa:

Versão Digital

Amei a parceria, amei o livro e quero mais hahahaha Peço desculpas a Raquel Machado pela demora do post… O blog e eu tivemos mil e um problemas nesse tempo… Espero que vocês também gostem tanto quando eu! 😀

Beijos e até mais!

Share

Post por: K-Chan Nhayök


pessoal category image Pessoal
4 meses sem meu filho
3 de março de 2015

Me disseram que fui fraca, que fui cruel, que “matei meu filho”… Me disseram que no meu lugar JAMAIS fariam isso, que fiz a escolha errada, que não mereço ser chamada de mãe. Me disseram que sou homicida, assassina, criminosa, sem coração. Me disseram tantas coisas ruins…
Mas também houveram os que me entenderam, os que me apoiaram e os que ficaram ao meu lado. E a maioria deles são mulheres, a maioria deles são mães.

Acontece que, quando eu descobri que meu filho, meu primeiro filho, ia nascer e morrer em seguida, ou nascer morto, ou morrer antes de nasceu eu simplesmente não consegui suportar o pensamento de ter que enterrar o meu bebê recém nascido. Simples assim.

Não, não foi uma gravidez planejada, mas a ideia de ter um bebê já vinha rondando a minha cabeça há um ano mais ou menos… Dizem que quando você deseja, você atrai e acho que foi isso que aconteceu. Em dezembro de 2013 eu tive um probleminha hormonal que me desregulou, passei um mês inteirinho menstruando sem parar, acho que as mulheres devem imaginar bem como isso foi incômodo…
Aí o médico me pediu para suspender o anticoncepcional, que eu tomava para controlar meu ciclo, meu peso e algumas dores, por um tempo. O tempo passou e não voltei a tomar,quando eu decidi voltar, a minha menstruação, que sempre foi irregular, não vinha nunca e resolvi esperar ela vir, pra não tomar e ter problemas de novo…
3 meses e alguns vômitos depois, descobri que estava grávida.

Não quis morrer, não entrei em paranoia, não tive medo… Fique insegura, claro que fiquei, fiquei pensando em “como” eu iria fazer isso… Se iria doer muito ou não e se eu seria uma boa mãe… Mas aceitei a gravidez com muita expectativa boa. Até saí pra comprar livros pro meu bebê no dia em que descobri o positivo com o teste de farmácia!
Marquei médico, mas SUS vocês sabem como é, demorei um mês pra ser atendida e ainda não fiz a ultrassom do SUS até hoje… Meu pai decidiu me ajudar pagando médico particular e aí que eu descobri a anencefalia, mas o médico estava com medo de confirmar o diagnóstico e só me deu o laudo confirmando quando eu já estava com 23 semanas de gestação…

Aí, como muita gente me perguntou: o bebê já devia estar enorme! Como você teve coragem?
Não gente, o bebê não estava enorme, o bebê tinha menos de 350 gramas, o bebê não estava crescendo mais, mal tinha pulmões e rins, pois eram menores do que deveriam ser, mesmo pra um bebê tão pequeno… Ele não iria respirar sozinho nunca.
Pelas contas da ultrassom, eu já estava indo do quinto pro sexto mês, se o bebê estivesse vivo ele nasceria vivo, ele poderia ir para a UTI e ser salvo, mas ele estava morto. Ele nasceu morto. Eu não tomei remédios abortivos, não injetei nada letal na minha veia que pudesse matar meu filho. Quando me internei no hospital, eu apenas usei de medicamentos que ajudariam meu corpo a ter um parto normal, só que antecipadamente.

Não, eu não conseguiria lidar com o primeiro velório, enterro e certidão de óbito da minha vida, sendo justo o do meu primeiro filho! Eu não perdi meus avós, eu não cheguei a conhecê-los, nunca fui num velório e só entrei em um cemitério uma vez na vida, em Portugal, pra conhecer (e me senti super mal lá dentro)!
Eu não tinha forças/cabeça pra enterrar meu primeiro filho. Podem me julgar, podem me chamar do que quiser, mas eu não iria conseguir lidar com isso de jeito nenhum – e pronto!

Sim, eu sinto saudades dele. É estranho, pois eu nunca senti o bebê mexer, eu nunca senti nada, além do enjoo, que indicasse que eu estivesse grávida, mas eu me senti grávida sim e sinto saudades de saber que o Kauã estava dentro de mim, sendo gerado.

Todo dia 3 eu choro, todo dia 3 é triste pra mim, porque foi no dia 3 que ele saiu de mim, foi no dia 3 que dissemos adeus um para o outro. Ter escolhido não lidar com o enterro do Kauã não faz de mim menos ou mais mãe que ninguém. Só me faz uma mulher, de 23 anos, frágil, que escolheu não enlouquecer mais ainda… Que escolheu não se machucar mais ainda… Que escolheu ter um pouquinho de paz em meio ao caos.
Não consegui fazer nem o chá de bebê do meu filho, imagina ter que organizar o seu enterro!?

Por isso, se você me julga pelo que eu fiz, pode julgar, Deus diz para não julgar, mas se você quer julgar, julgue a vontade. Mas se afaste de mim. Não preciso e não irei lidar com o seu julgamento.

Dentro de mim mora um vazio, um vazio preenchido de saudade, saudades do Kauã. Não, eu não o vi fisicamente, mas eu o senti e eu o amo e seu sou a mãe dele e eu me responsabilizo pelos meus atos e eu sei que fiz o melhor para nós dois… E ele sempre será meu primeiro filho, saiu do meu ventre para morar pra sempre em meu coração. E eu -apenas eu- sou a única que tem que lidar com a minha escolha.

Filho, feliz mêsversário… Espero que um dia a gente possa se encontrar de novo… Te amo, sinto sua falta! Você é insubstituível.

Share

Post por: K-Chan Nhayök


intercambio-viagens category image Intercâmbio e Viagens
10 presentes para pessoas que gostam de viajar
1 de março de 2015

Oi pessoal!
Hoje eu trouxe um post cheio de coisa linda, com dicas de presentes pra dar pro pessoal que curte viajar, botar o pé na estrada, fazer e desfazer malas e conhecer gente e lugares novos! <3 Espero que gostem 😉

*Lembrando que os preços e links estão de acordo com hoje, 01 de março de 2015, portanto, dependendo de quando você ver o post, podem variar/sair de linha!

01 – Caneca bússola.

Link

R$ 29,90 – Link

Essa caneca é linda para enfeitar o lar (quase sempre vazio) daqueles que amam por o pé na estrada. Não é prática para ir na mala, porque é de porcelana, mas chegar em casa e tomar um chá nessa caneca enquanto olhamos as fotos de nossa última viagem é S-U-C-E-S-S-O! <3

02 – Almofada com estampa de mapa mundi.

Link

R$ 49,90 – Link

Essa almofada pode ir na mala, ou ficar decorando o sofá do viajante (que com certeza também recebe outros viajantes!), o importante é se perder em sonhos e planejar novas rotas enquanto olhamos pra essa coisa linda e maravilhosa! <3

03 – Quadro “fotografia”.

Link

R$ 79,90 – Link

Agora você imagina só: esse quadro no centro da parede e muitas fotos de viagem em volta! Imaginou? Olha só que ARRASO vai ficar sua sala! Sei que aqui é dicas de presentes, mas eu NECESSITO! <3 (E se você quiser me dar eu não vou me importar hahahaha 😛 )

04 – Balança digital para mala.

R$ 33,96 - Link

R$ 33,96 – Link

Essa balança digital vai ser a salva-vidas daqueles que viajam de avião pra cima e pra baixo (literalmente hahahaha), sério, se eu soubesse que isso existe uns 4 anos atrás, minha vida teria sido beeem mais fácil com a Ryanair lá na Europa 😛 (Se você não sabe do que eu tô falando é só ler esse post 😉 )

05 – Almofada massageadora com caixa de som.

R$ 132,91 - Link

R$ 132,91 – Link

IMAGINA SÓ: você naquela viagem looonga (de carro, de avião, de ônibus…) ouvindo sua músiquinha favorita e recebendo MASSAGEM! <3 Tchau torcicolo, tchau stress, tchau viagem dolorida, agora a viagem vira puro amor e você pode curtir muito mais! (Só cuidado pra sua música não acabar incomodando os vizinhos! 😛 )

06 – Porta retrato da saudade.

R$ 56,91 - Link

R$ 56,91 – Link

Eu imagino esse porta retrato sendo dado de presente pra quem tá indo em intercâmbio. Tem coisa mais fofa pra se dar de presente e capaz de fazer lágrimas felizes de uma saudade boa rolarem? NÃO TEM NÃO! <3

07 – Esse kit de viagem.

R$ 99,00 - Link

R$ 99,00 – Link

Uma almofada pra pescoço + uma máscara para dormir + uma tag para não perder a mala e um porta passaporte com essa estampa linda e maravilhosa, tem presente mais bonito e completo que esse? Tudo combinando e com um toque aeronáutico que fica bonito pra homens e mulheres que amam voar por aí! <3

08 – Esse organizador de fios.

$45.00 (dólares) - Link

$45.00 (dólares) – Link

A gente deve achar umas versões brasileiras desse organizador de fios, mas tem presente mais prático e que economiza mais espaço na mala que esse?
Tchau perder USB, tchau fiarada sem fim, embolada e que faz a gente até desistir de ouvir música por preguiça de desembolar hahaha <3

09 – Essa garrafa térmica.

£16.63 (libras) - Link

£16.63 (libras) – Link

Pra quem vai para um lugar quente, é bom manter a água geladinha. Pra quem vai pra um lugar frio, é bom manter o chá bem quentinho. E, pros gauchos, é bom ter sempre um chimarrão em mãos! <3
Tem presente mais bonito que esse pra quem não dispensa uma boa bebida na temperatura certa pra acompanhar o clima do destino da viagem? <3

10 – Carregador portátil.

R$ 139,00 - Link

R$ 139,00 – Link

Quando viajamos nem sempre temos uma tomada a mão para carregar câmera, celular, mp3… Então nada melhor que ter um carregador portátil que consegue carregar até DOIS aparelhos ao mesmo tempo, que nos permita curtir ao máximo e não ficar sem bateria bem na hora “daquela” foto maravilhosa, né? Parece até um sonho virando realidade!
Só não esqueça de carregar o carregador quando achar uma tomada, heim! 😛

E você?

O que daria de presente para quem gosta de viajar? Ou você que gosta de viajar, o que gostaria de ganhar de presente? Eu “só” quero TUDO dessa lista! <3

Share

Post por: K-Chan Nhayök