Profissão de Blogueiro #13 – Psicologia

Oi pessoal! Hoje eu trago novidades: o blog vai ter post toda segunda, quarta e sexta e vamos ter vlog todo fim de semana! Yaaaay \o/
Uma das minhas metas esse ano era organizar as postagens e manter uma frequência legal no blog, afinal de contas, em novembro teremos 10 anos de Klaryan.com! Então muuuitas novidades estão por vir!

O post de hoje é pro Profissão de Blogueiro, uma coletânea de posts com o intuito de ajudar aquele que está na fase da busca do vestibular e de uma profissão, aqui blogueiros convidados falam sobre sua experiência na faculdade, do mercado de trabalho em que atual e se o curso é realmente aquele conto de fadas que a gente espera!
Se você tiver interesse em participar mande um e-mail com seu nome, seu curso/profissão, fotos, seu blog e seu texto para aimereis@yahoo.com.br!

A profissão da vez é: psicologia! Com participação da dona Fogaca, dona do Dificionário <3

Nome: Giovanna Fogaça
Profissão/Curso: Psicologia, na UNESP.
Blog: Dificionário.

pisicologia

Minha jornada pela psicologia começou aos 16 anos, quando eu fazia parte de uma quadrilha de teatro amador na minha cidade natal – Botucatu- e coloquei na minha cabeça que queria estudar Artes Cênicas. Meus pais resolveram que isso não era certo (por N motivos) e me mandaram fazer teste vocacional e orientação profissional pra ver como ia ficar essa “palhaçada” de teatro. Entrei, então, pela primeira vez numa clínica de psicoterapia e saí de lá mais bagunçada do que entrei, mas apaixonada pela prática da psicóloga.
Ao terminar o ensino médio não fui direto pra universidade, tive algumas experiências profissionais que me deram muitas ferramentas e só aumentaram a certeza de que era psicologia o que eu devia estudar. Finalmente, aos 20 anos, eu passei em dois dos cinco vestibulares que prestei: UNESP Campus Assis e UEL. Optei por estudar na UNESP por situar-se numa cidade pequena onde o custo de vida seria menor (teoricamente), além das referências nacionais e internacionais ao curso de psicologia daqui.
Tudo muito lindo e belo, peguei minhas malinhas e vim me instalar em Assis sem nem conhecer a cidade (Gente, NUNCA façam isso, por favor!). Mamis, namorado e sogra da época vieram me trazer pro “abate” e aqui fiquei, chorando, e entregue aos melhores anos da minha vida. A vida de universitário fora de sua cidade natal é muito interessante e tem-se muito que falar sobre isso, mas é assunto para outro post.
A área de atuação de um(a) psicólogo(a), em geral, é muito ampla. Um profissional psi pode trabalhar nas áreas da saúde, da educação, jurídica, empresarial, orientação profissional, governos municipais, estaduais e federais, esportes, criminal e forense, ONGs, dentre tantas outras e até mesmo subdivisões destas. E onde trabalha? Escolas, hospitais, centros de saúde, juizado de menores, fóruns, empresas, prefeituras, órgãos de planejamento, creches, CAPs, CRAS, ONU, Médico Sem Fronteiras, clubes esportivos, e muitos, muitos outros lugares. Uma pergunta que ouço frequentemente de quem pensa em ser psicólogo (e também de parentes e curiosos) é: Dá dinheiro? E a minha resposta sempre é: Depende! Os rendimentos sempre serão de acordo com a oferta do mercado em determinada região, na área/especialidade que se resolve trabalhar, etc. Além do mais, o psicólogo pode trabalhar de forma autônoma também, no caso o psicólogo clínico, que atende em consultório e tal, além, é claro, da carreira acadêmica (que se é se formar e continuar na universidade, fazendo mestrado, doutorado, pós-doc e assim vai…)
Sobre o curso de bacharelado e formação de psicólogo na UNESP em Assis (não posso falar pelos outros, mas se surgirem dúvidas, é legal que o candidato se informe das grades curriculares e estágios de outras universidades: apesar de obter o mesmo título e o diploma ter a mesma validade, existem várias formas aprovadas pelo MEC de formação de psicólogos).
O curso de psicologia pertence à grande área das ciências humanas, e é composto por matérias de base como história, antropologia, filosofia, sociologia, biologia e estatística (sim, tem matemática num curso de humanas!). Mais tarde, essas bases serão utilizadas pras matérias mais específicas como psicologia da educação, psicodiagnóstico, psicobiologia, psicologia social, psicanálise, psicologia da adolescência, psicologia de grupos e instituições, psicologia da família, psicologia da atenção psicossocial e políticas públicas. (Deixei os nomes mais genéricos pra facilitar o entendimento de quem não tá nesse meio ainda, mas os nomes são mais específicos e bem chatinhos). Essas disciplinas fazem parte do currículo comum que cumprimos do primeiro ao sexto semestre. No segundo semestre do segundo ano, nós somos submetidos a uma seleção de estágio básico, os quais nos darão a noção de como escrever um projeto de pesquisa ou de intervenção e desenvolvê-lo junto às demandas de cada área. Já no início do quarto ano, passamos por outra seleção de estágios, mas estes agora são estágios profissionalizantes, e vão direcionar a formação dos alunos para áreas de atuação profissional, que como eu disse, são bastante amplas. Nós escolhemos dois estágios que serão desenvolvidos pelos dois últimos anos da graduação, supervisionados pelos docentes, e fazemos matérias específicas também: a partir daqui, a turma se fragmenta. É importante dizer que todos esses estágios são OBRIGATÓRIOS, e NÃO REMUNERADOS, eles são onde vamos aprender a profissão mesmo, mão na massa, foco, força e fé! Eles equivalem ao TCC que outros cursos e universidades exigem! 😉
As teorias e abordagens variam MUITO de curso pra curso, mas isso não quer dizer que não se estude esta ou aquela teoria aqui no curso. Na Unesp de Assis, a abordagem psicanalítica é uma referência no país, uma das poucas que tem uma base teórica extensa e sólida, mas aqui não tem só psicanalista não! Aqui também tem ótimos professores de abordagens cognitivo-comportamental, sócio histórica, psicologia da diferença, psicologia de gêneros, psicologia organizacional, psicobiologia, estética, fenomenologia, dentre outras. Eu sei que é muito nome estranho e específico, mas uma clicada no oráculo já poderá dar uma clareada nas ideias e ponderar essa ou aquela preferência.
É claro que ao sair da universidade com o diplominha na mão o sujeito não será um profissional completo. É isso mesmo, pois a completude não existe!! É preciso que o profissional se especialize de acordo com suas possibilidades e demandas, e que recicle seus conhecimentos periodicamente para que se atualize e se mantenha em movimento, acompanhando os progressos da ciência e do mundo.
Pra quem pensa em estudar psicologia já ir treinando pra LER MUUUUITO, vou indicar um livreto que foi muito importante na minha chegada ao mundo da psique, que é Cartas a um Jovem Terapeuta, do Contardo Calligaris. Ele é bem curtinho e tem em pdf aqui. A leitura é muito fluida e fácil, vale muito a pena!!
Pra finalizar, tenho que dizer que trabalhar com psicologia é trabalhar com pessoas, com diversas realidades e modos de pensar. Para se preparar pra isso, é preciso desconstruir-se por inteiro para reconstruir-se mais forte, capaz de lidar com a dor da alma de outro humano. Estudar psicologia não é pra se conhecer, é pra mergulhar num desconhecimento total; não é adquirir um saber soberano sobre o outro, mas estar apto a lidar com a busca do outro. Psicologia não é só para obter um diploma e ter uma profissão, estudar psicologia é para a vida.

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.” – Carl. G. Jung

E aí, o que acharam? É um curso bem intenso, né?
Não deixem de visitar o blog da Gi, onde ela fala um pouquinho mais da saga de ser aluna de psicologia e da vida em geral! <3

Beiiijos!

Share
Post por:

9 respostas

  1. Acho que eu nunca faria psicologia é um curso que mexe muito com pessoas. Tem que trabalhar com algo impalpável que a mente das pessoas.
    Admiro quem faz, é um trabalho muito importante, principalmente nos dias de hoje com tantas pessoas tendo problemas de saúde mental (depressão, ansiedade…), mas não daria conta da responsabilidade.
    Parabéns para Giovanna por ter escolhido uma profissão tão bonita 🙂
    Bjuxxxxxx

  2. Ebaaaaaaa klaryan, bem vinda de novo ao seu cantinho kkkkk pelomenos eu te via la no cdb! kkkkkkkkk
    Parabens adiantado, por 10 anos de kla.com, e q venham mais, 20, 30, 80! rsrsrs
    Vlog, kla! uai, eu entendi errado ou, vc vai criar canal no youtube? o engraçado é q eu sou daquelas pessoas q morrem de curiosidade pra conhecer a
    voz de todo mundo q conhece na net xd kkkk
    Eu nunca pensei em fazer psicologia, nunca entendi isso, risaaada não tenho nenhuma facilidade com humanas! sinceramente, psicologia não é minha área,
    A facul ideal pra mim, é direito, apesar de eu tambem sempre querer ter feito ciências contabeis xd que me recordo q era o curso q vc iria fazer na
    unip antigamente e desistiu, haha. e ainda pretendo fazer, ciência da computação! xd haha.
    bjooooos!

    1. eu tinha ganho bolsa do pro uni pra ciencias contabeis, mas desisti hahahaha mas agora vou fazer tecnico em contabilidade :p

      a facul pra mim é letras e quero ainda fazer pedagogia hahaha nunca é tarde pra estudar mais e mais!

      obrigada pelo carinho de sempre, pelos comentarios e pelo parabens! 😀
      eu quero que vc precisa de um blog tambem pra eu conhecer mais sobre vc! 😀 <3

  3. Olá Kla! Eu fiquei em duvida tipo, ta eu sei, meu comment nao tem #nadaaver com o post, maaaas: sera q facul de ciencias contabeis e curso tecnico em
    contabilidade, nos 2 casos a gente faz isso pra virar contador? ou um é pra ser contador:facul: e o tecnico e pra ser analista de contabilidade? ou
    contador e analista de contabilidade, sera q e a mesma coisa?
    Beijos meliga*_* e agradeço se poder me ajudar^^

  4. Adoreiiii o texto, estou pensando seriamente em cursar psicologia .

    Mas ainda estou em duvida espero que ate no final do ano tenha decidido . Por que pelo o meu ver eu me identifico com esse curso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*Para que sua foto apareça aqui é necessário que você tenha uma conta no Gravatar.
*Sem spam e sem xingamentos nos comentários.

Ver mais...

Tchau 2016!

2016 não foi um ano fácil, tirando o ano da minha gravidez me arrisco a dizer que 2016 foi o segundo pior ano da minha

Share
Read More »

A saga da minha tatuagem

Ano passado tomei coragem e fiz minha primeira tatuagem – e única, porque olha, doeu demais hahaha -. O Júnior pegou um trabalho de pintura

Share
Read More »

Aime Reis

Aime, ou Klaryan, ou K-Chan. Você escolhe.
30 anos, cidadã do mundo, que viaja sozinha desde os 17.
Formada em Letras (português, japonês e espanhol), quase poliglota, professora, escritora, produtora de conteúdo e designer sempre que pode.
Apaixonada por academia, pelo inverno, por seus cachorros Yuki, Dudu, Jade e Chico, por seu filho Kauã e seu filho Pedro, canecas, Harry Potter, cultura japonesa, tomar açaí na tigela, sorvetes com “cor de veneno“, ler e escrever.

O que você quer ler?

Categorias

.

Me siga por ai...